PARA DEUS TUDO É POSSÍVEL- Santana do Ipanema - quarta, 24 de maio de 2017

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
02/05/2010 - 11h 00min
Sexualidade

Alagoas tem cada vez mais adeptas à arte do pompoarismo

Equipamentos utilizados pelos adeptos ao popuarismo (Fotos: Ilustração)
Gazetaweb - Wanessa Oliveira e Gabriela Moreira

Técnica milenar promete movimentar saúde sexual, além de auxiliar no parto e na terceira idade

Desenvolve a performance sexual, a saúde na terceira idade e no parto, e o que é ainda melhor: você pode fazer em qualquer lugar, a qualquer momento e ninguém percebe. Surgida antes mesmo do famoso Kama Sutra, a prática de pompoar é considerada mais do que uma técnica nas comunidades que a originaram, chegando a ser vista como uma arte. Apesar de Alagoas ser considerada ‘conservadora’ quando o assunto é sexo, especialistas asseguram que a atividade tem sido disseminada no Estado por adeptas de todas as idades.

A prática milenar indiana - com aperfeiçoamentos no Japão e na Tailândia – chegou ao Brasil na década de 70 de forma peculiar, quando, segundo o artigo do ginecologista Nevton Bringman, um paulista identificado como ‘Velho Mestre’ publicava nos classificados locais o ensino do pompoar. Os anúncios foram interrompidos quando a filha e a esposa descobriram a ‘vida secreta do professor’, mas as atividades já haviam sido disseminadas pelo país.

Segundo a ginecologista e psicóloga sexual, Christyne Rose Cavalcante, a crescente demanda ocorre devido a um esclarecimento maior a respeito do tema. “O pompoarismo é cada vez mais procurado por mulheres que querem melhorar seu desempenho sexual. A mudança é realmente impressionante. Inclusive, há homens que vêm até o consultório com suas esposas para incentivá-las e, depois, retornam para agradecer, comentando o quanto a relação esquentou”, garante.

Foi o que aconteceu com a escritora D.A, 40. “Acho que, independentemente da idade, você tem que ser uma mulher inovadora e amarrar seu parceiro em todos os sentidos. É interessante mostrar criatividade e fazer tudo o que possa apimentar a relação”, defende. A universitária Analice da Silva, 25, conta que sua iniciação também se deu de forma autodidata. “Sempre gostei de ler vários aspectos e filosofias orientais, quando, através de uma amiga, tive acesso a livros sobre o assunto e me interessei”, comentou.

Segundo Analice, duas semanas de treinamento foi o suficiente para comprovar a ‘eficácia’ do resultado. “Fiquei treinando sozinha e depois fui testar com o meu namorado. A surpresa foi imediata e ele tomou um susto. Com certeza o prazer é muito maior do que se imagina”, emendou.

Como funciona o pompoarismo

Com a terminologia advinda diretamente de Sri Lanka, região sul da Índia, pompoar significa ‘sugar’. Na prática, a técnica consiste na contração dos músculos vaginais, e seu aperfeiçoamento gera ainda outras performances, como a sucção e expulsão do pênis, aumentando o controle da mulher e o prazer mútuo na hora H.

“No pompoar, inicialmente você aprende a praticar com as contrações normais. Contrai e solta repetidas vezes, como quem está prendendo a urina. Se você é bem disciplinada, peço que faça por três semanas essa primeira etapa. Depois, pode passar a usar os acessórios”, comentou. O principal deles, segundo a sexóloga, trata-se da ben-war. “Ela parece bolinhas de pingue-pongue presas por um cordão. Você coloca cada bolinha de uma vez e depois começa a prender e expulsar, empurrar e puxar”, explica.

Para tornar a técnica ainda mais efetiva, Christyne Rose orienta a mulher a unir o esforço físico a uma prática mental. “Aconselho sempre essa visualização criativa. Imaginar que é um músculo e aliar o trabalho mental ao físico é muito importante. Peço até que acompanhe os movimentos com um espelho, mesmo para conhecer a si mesma”, emendou. A psicóloga garantiu que, com a devida disciplina, a mulher pode considerar-se uma pompoarista completa em cinco meses. “Depois, é apenas questão de manutenção, mesmo porque, se deixar de praticar, o músculo termina voltando ao que era antes”, informou.

Auto-estima

O enrijecimento do músculo da vulva não só proporciona uma melhora física, como também eleva a auto-estima da mulher, de acordo com a especialista. “Tem homem que chega aqui no escritório e diz ‘doutora, eu tinha uma mulher antes e agora tenho outra’. Quer dizer, quando a mulher começa a perceber que o parceiro traz um feedback, a auto-estima muda muito e ela termina se tornando uma mulher cuidadosa e sensual”.

D.A diz que passou na pele por todas essas mudanças. “Meu ex-marido era bem tradicional, então era bem mais mecânico e a rotina acaba com qualquer coisa, até mesmo a rotina sexual. O que mantém a chama é realmente a inovação e acabei vendo isso com o meu atual companheiro, que tem outra mentalidade. Ele adora essas iniciativas, elogia e comenta. Essa valorização é incentivadora para melhorarmos sempre”, detalha.

A sexóloga ainda completa: “não adianta ser uma mulher bem resolvida, bem sucedida profissionalmente e financeiramente, se a mulher não se sente uma amante capaz de seduzir e conquistar seu homem. Esses depoimentos são muito interessantes porque notamos todas essas diferenças”.

Alguns problemas psicológicos também podem ser tratados após a descoberta da arte de pompoar. Chrystine Rose cita, por exemplo, o vaginismo, a dispareunia e a anorgasmia.

Não é só a sexóloga quem recomenda o pompoarismo. A fisioterapeuta Renata Soutinho, que é especialista em urologia de assoalho pélvico, informa que o exercício do que denomina musculatura perineal também é estimulado em seu trabalho. "As mulheres vêm aqui geralmente com alguma queixa urinária ou fecal e terminam melhorando o desempenho sexual porque exercitam justamente esses músculos", esclareceu.

"Quem sofre de algum problema de disfunção sexual, como anorgasmia, que é quando a mulher não atinge o orgasmo, embora tenha um componente psicológico, também pode ser tratado com a fisioterapia dentro do âmbito muscular", emendou.

Parto e terceira idade

Como a fisioterapeuta explica, não é só na melhoria do prazer sexual que age o pompoarismo. A melhoria na saúde também é destacada por Christyne Rose, em dois aspectos: no parto e com a terceira idade. No primeiro caso, segundo a ginecologista, o pompoar ajuda a evitar a necessidade de cirurgia de períneo após o parto. “Com os exercícios, o músculo fica elástico, de modo que, após o parto, a mulher consegue voltar ao seu tamanho original. No entanto, sem esse treino, a musculatura perde a rigidez e torna-se necessário o procedimento cirúrgico”, esclareceu.

O enrijecimento do músculo também evita a incidência de problemas de incontinência urinária ao chegar à terceira idade. “É necessário, no entanto, que a mulher comece a praticar o pompoar o mais rápido possível. Caso comece quando já é idosa, pode até obter alguma melhora, mas não é tão eficaz quanto na juventude”, emendou.

   Comentários
Nome *
E-mail *
* Campos obrigatórios  
Comentário:

 Caracteres restantes : 1000
CAPTCHA Image
Digite o código de segurança da imagem acima: Obter outra imagem
 
 
© 2001/2017 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados