PARA DEUS TUDO É POSSÍVEL- Santana do Ipanema - quinta, 28 de maio de 2015

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
23/03/2010 - 23h 30min
Canal do Sertão

Sertanejos recebem primeiras bombas do Canal do Sertão

(Fotos: Tércio Cappello)
Mário Lima - Agência Alagoas

Delmiro Gouveia, sede da principal obra hídrica do PAC, recebe caminhões com o maquinário que levará três meses para montagem

Os sertanejos comemoraram, nesta terça-feira, em Delmiro Gouveia, Alto Sertão alagoano, a chegada das duas primeiras bombas do Canal do Sertão, com uma vaqueirama — desfile de mais de 300 vaqueiros — na escolta das quatro carretas jamantas que transportaram o maquinário, que mede 21 metros de altura e 23 toneladas por unidade. Serão três meses de montagem e testes.

A caravana foi capitaneada pelo líder vaqueiro Miguel Ramalho Alves, o Miguel do Bigodão, junto com o governador Teotonio Vilela Filho. Antes, No começo da manhã, na fazenda Abel de Elvira, a um quilômetro de Delmiro Gouveia, o governador tomou café da manhã com os vaqueiros, agricultores, prefeitos e lideranças políticas. No cardápio, cuscuz, guisado de boi, linguiça, legumes e queijos coalho e manteiga.

“Quero expressar minha alegria e contentamento em receber as bombas ao lado de vocês, sertanejos alagoanos. Não podemos esquecer jamais a luta de vocês, que trabalham sol a sol, com as mãos calejadas, e muita fé em Deus. Muito ainda teremos que fazer no Canal. Até o final do ano, as bombas já estarão funcionando e levando água para o roçado do Alto Sertão”, disse o governador Teotonio Vilela Filho, durante o café da manhã.

“É a maior vitoria do mundo para nós sertanejos. Com a chegada das bombas já podemos considerar que a bendita água chegou para nós. É um sonho de muitos anos que está sendo concretizado. Já ouvi muita palestra em igreja e clube sobre o Canal do Sertão, e o povo já estava desacreditando. Mas hoje todo mundo está satisfeito e acreditando no futuro”, afirmou o poeta popular Virgílio Gonçalves, 72 anos, que leu trechos de suas poesias durante o café da manhã.

Até chegada das bombas, e dos 40 quilômetros já construídos, com cinco em fase de finalização, nenhum quilômetro havia sido construído até 2007, quando o governo reiniciou as obras do Canal do Sertão, que desde 1992 é anunciado como a redenção do Sertão.

“Durante o governo de presidente Fernando Henrique Cardoso, a obra foi colocada entre as prioridades nacionais. No governo Luiz Inácio Lula da Silva, as verbas foram garantidas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e chegou um governo inteiramente comprometido com a obra. Esse é um momento histórico, e a partir de hoje o Canal entra em uma nova fase”, assinalou Teotonio.

De chapéu de vaqueiro na cabeça, Teotonio e comitiva percorreram as ruas principais de Delmiro, até a praça central da cidade, onde foram entregues as bombas. Durante todo o trajeto, populares foram às ruas para ver a caravana dos vaqueiros e dos caminhões com as bombas.

Francisco de Assis Lopes, desempregado, estava entre a população que observava a chegada das máquinas. “Isso significa mais emprego e mais trabalho para a população, e irrigação para a agricultura, e espero ter uma oportunidade, agora com as chegada das bombas”, disse.

A vinda das bombas fortalece projetos do governo de Alagoas para o crescimento da região, e que estão vinculados ao Canal. Um desses projetos é o desenvolvimento da ovinocaprinocultura, no perímetro irrigado de Pariconha — a primeira localidade e receber água - onde 500 produtores locais serão beneficiados.

O Canal do Sertão é a principal obra hídrica do PAC no país, com recursos de R$ 592 milhões, vindos do Ministério da Integração Nacional e contrapartida do governo do Estado. A obra prevê a construção de 250 quilômetros de extensão, de Delmiro Gouveia até Arapiraca, atendendo a um milhão de pessoas de 42 municípios, com água para consumo e irrigação.

   Comentários
Nome *
E-mail *
* Campos obrigatórios  
Comentário:

 Caracteres restantes : 1000
CAPTCHA Image
Digite o código de segurança da imagem acima: Obter outra imagem
 
 
© 2001/2015 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados