Santana do Ipanema - sábado, 01 de novembro de 2014
  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
Campeonato Alagoano 2011
Eleições 2010
  Serviço
Assinantes (Exclusivo)
Balcão de Oportunidades
Classificados (Novo)
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
Fotos / Tércio Cappello

Canal do Sertão
23/03/2010 - 23h 30min

Sertanejos recebem primeiras bombas do Canal do Sertão

Mário Lima - Agência Alagoas

Delmiro Gouveia, sede da principal obra hídrica do PAC, recebe caminhões com o maquinário que levará três meses para montagem

Os sertanejos comemoraram, nesta terça-feira, em Delmiro Gouveia, Alto Sertão alagoano, a chegada das duas primeiras bombas do Canal do Sertão, com uma vaqueirama — desfile de mais de 300 vaqueiros — na escolta das quatro carretas jamantas que transportaram o maquinário, que mede 21 metros de altura e 23 toneladas por unidade. Serão três meses de montagem e testes.

A caravana foi capitaneada pelo líder vaqueiro Miguel Ramalho Alves, o Miguel do Bigodão, junto com o governador Teotonio Vilela Filho. Antes, No começo da manhã, na fazenda Abel de Elvira, a um quilômetro de Delmiro Gouveia, o governador tomou café da manhã com os vaqueiros, agricultores, prefeitos e lideranças políticas. No cardápio, cuscuz, guisado de boi, linguiça, legumes e queijos coalho e manteiga.

“Quero expressar minha alegria e contentamento em receber as bombas ao lado de vocês, sertanejos alagoanos. Não podemos esquecer jamais a luta de vocês, que trabalham sol a sol, com as mãos calejadas, e muita fé em Deus. Muito ainda teremos que fazer no Canal. Até o final do ano, as bombas já estarão funcionando e levando água para o roçado do Alto Sertão”, disse o governador Teotonio Vilela Filho, durante o café da manhã.

“É a maior vitoria do mundo para nós sertanejos. Com a chegada das bombas já podemos considerar que a bendita água chegou para nós. É um sonho de muitos anos que está sendo concretizado. Já ouvi muita palestra em igreja e clube sobre o Canal do Sertão, e o povo já estava desacreditando. Mas hoje todo mundo está satisfeito e acreditando no futuro”, afirmou o poeta popular Virgílio Gonçalves, 72 anos, que leu trechos de suas poesias durante o café da manhã.

Até chegada das bombas, e dos 40 quilômetros já construídos, com cinco em fase de finalização, nenhum quilômetro havia sido construído até 2007, quando o governo reiniciou as obras do Canal do Sertão, que desde 1992 é anunciado como a redenção do Sertão.

“Durante o governo de presidente Fernando Henrique Cardoso, a obra foi colocada entre as prioridades nacionais. No governo Luiz Inácio Lula da Silva, as verbas foram garantidas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e chegou um governo inteiramente comprometido com a obra. Esse é um momento histórico, e a partir de hoje o Canal entra em uma nova fase”, assinalou Teotonio.

De chapéu de vaqueiro na cabeça, Teotonio e comitiva percorreram as ruas principais de Delmiro, até a praça central da cidade, onde foram entregues as bombas. Durante todo o trajeto, populares foram às ruas para ver a caravana dos vaqueiros e dos caminhões com as bombas.

Francisco de Assis Lopes, desempregado, estava entre a população que observava a chegada das máquinas. “Isso significa mais emprego e mais trabalho para a população, e irrigação para a agricultura, e espero ter uma oportunidade, agora com as chegada das bombas”, disse.

A vinda das bombas fortalece projetos do governo de Alagoas para o crescimento da região, e que estão vinculados ao Canal. Um desses projetos é o desenvolvimento da ovinocaprinocultura, no perímetro irrigado de Pariconha — a primeira localidade e receber água - onde 500 produtores locais serão beneficiados.

O Canal do Sertão é a principal obra hídrica do PAC no país, com recursos de R$ 592 milhões, vindos do Ministério da Integração Nacional e contrapartida do governo do Estado. A obra prevê a construção de 250 quilômetros de extensão, de Delmiro Gouveia até Arapiraca, atendendo a um milhão de pessoas de 42 municípios, com água para consumo e irrigação.

   Comentários
Nome *
E-mail *
* Campos obrigatórios  
Comentário:

 Caracteres restantes : 1000
CAPTCHA Image
Digite o código de segurança da imagem acima: Obter outra imagem
 
 
© 2001/2014 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados