PARA DEUS TUDO É POSSÍVEL- Santana do Ipanema - sexta, 19 de janeiro de 2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
08/01/2018 - 10h 45min
Saúde

Santa Casa de Maceió: Há chance de controle para a doença de Alzheimer?

Geriatra Helen Arruda, da Santa Casa de Maceió (Fotos: Assessoria)
Por Theodomiro Jr. - ASCOM Santa Casa de Maceió

Geriatras ajudam a reconhecer síndrome e dizem como desacelerar avanço

Existe a crença de que o avanço da idade é sinônimo de perda de memória e de que todo idoso terá em algum momentos esquecimentos, confusão mental entre outros sintomas que a população rotula de esclerose. No entanto, nem sempre tais problemas fazem parte do processo de envelhecimento.

Pensamentos confusos e desorientação em relação ao tempo, por exemplo, podem ser os primeiros sinais de outro problema, a doença de Alzheimer, patologia que destrói os neurônios de forma progressiva.

O diagnóstico precoce pode aumentar as chances do controle da doença, possibilitando ao paciente e aos familiares mais qualidade de vida e menos sofrimento, destaca a geriatra Helen Arruda, da unidade de geriatria da Santa Casa de Maceió.

Já o gerontólogo Paulo Renato Canineu, doutor pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, alerta para o principal problema que cerca a doença: a dificuldade em identificá-la precocemente, uma vez que os sintomas iniciais são vistos como “comuns da idade”.

“O esquecimento, por exemplo, pode ocorrer em qualquer idade. O problema é quando isso interfere no cotidiano da pessoa”, diz Canineu. Ele estima que cerca de 800 mil a 1,2 milhão de brasileiros tenham algum tipo de demência e que entre 40% e 70% apresentem Alzheimer.

   Comentários
Nome *
E-mail *
* Campos obrigatórios  
Comentário:

 Caracteres restantes : 1000
CAPTCHA Image
Digite o código de segurança da imagem acima: Obter outra imagem
 
 
© 2001/2018 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados