PARA DEUS TUDO É POSSÍVEL- Santana do Ipanema - sábado, 18 de novembro de 2017

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
29/10/2017 - 22h 15min
Cultura

Colunistas: O Homem diante da Morte

(Fotos: Arquivo Pessoal)
Por Pe. José Neto de França

Uma das realidades que mais preocupa o homem em todas as etapas da história, desde a antiguidade, é a experiência da morte física. Esta realidade é compartilhada por todas as religiões, raças, culturas; independente se ele, o homem, acredita ou não em Deus. Se um dia ele entrou no mundo, um dia haverá de sair dele. Como enfrentar esta experiência?

Afirmar não temer a morte é mentir para si mesmo. O grau do temor será sempre inversamente proporcional a fé que o homem possua em Deus e, logicamente a certeza da vida eterna.

No dia-a-dia de sua vida o homem vai se envolvendo com os acontecimentos, procurando colocar em prática seus projetos, construindo seu “mundo” particular e geral... A sua volta, o tempo vai correndo à revelia de sua vontade e o espaço vai se modificando, expondo as marcas consequentes do agir humano, muitas vezes desumano.

Nesse “vai-vem” do homem e do mundo, morte e vida se entrelaçam, se abraçam. Lado a lado caminham... Aceite ou não essa realidade, ela, a morte, está ali, presente, imponente, persistente!

Na própria interatividade do homem com o meio, ele está vivendo e morrendo a todo instante. A cada opção que ele faz, renuncia outra. Cada opção assumida é como que uma vida; cada renúncia é como que uma “morte”, pois algo está sendo deixado para trás. Naturalmente que a morte física não é querida como uma opção, mas ela chega cedo ou tarde como parte do processo evolutivo do existir no tempo e no espaço.

Clique Aqui e veja a crônica completa

   Comentários
Nome *
E-mail *
* Campos obrigatórios  
Comentário:

 Caracteres restantes : 1000
CAPTCHA Image
Digite o código de segurança da imagem acima: Obter outra imagem
 
 
© 2001/2017 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados