PARA DEUS TUDO É POSSÍVEL- Santana do Ipanema - sexta, 23 de junho de 2017

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
11/05/2017 - 08h 41min
Assistência Social

Seades viaja para o Chile em missão internacional para conhecer novas práticas de inclusão social

(Fotos: Assessoria)
Por Renata Bello - ASCOM - SEADES AL

Viagem faz parte da premiação vencida pelo Estado na edição especial do Prêmio Rosani Cunha de Desenvolvimento SocialA busca do Governo do Estado para assegurar o acesso de diversos grupos sociais às políticas públicas, como o Programa Bolsa Família, Benefício de Prestação Continuada (BPC), Programa do Leite, Seguro Defeso, entre outros, garantiu a Alagoas o primeiro lugar do Prêmio Rosani Cunha de Desenvolvimento Social – Edição Especial: Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA).

A notícia do primeiro lugar veio em dezembro de 2016 e agora a coordenadora do Programa Bolsa Família, Maria José Cardoso, responsável pela elaboração e execução do projeto vencedor, prepara-se pra uma missão internacional ao Chile, no próximo dia 15 de maio. Acompanhada de uma equipe do MDSA, ela irá conhecer o funcionamento de uma experiência internacional sobre coleta de informações sociais e sua consolidação como registro administrativo. O primeiro lugar garantiu ainda a publicação do relato das práticas realizadas em catálogo editado pelo Ministério.

O projeto Visibilidade às famílias pertencentes aos Grupos Tradicionais e Específicos em Alagoas – Conhecer para garantir Direitos, vencedor do prêmio, é uma iniciativa do Governo do Estado em parceria com a Secretaria da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) e tem como objetivo sensibilizar os gestores estaduais e municipais quanto à existência de Grupos Populacionais Tradicionais e Específicos (GPTEs) nos seus respectivos territórios, fortalecendo o uso do Cadastro Único (CadÚnico) em todo Estado, além de orientar as famílias a exigirem a devida marcação no CadÚnico.

Para o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Fernando Pereira, a execução desse projeto reforça a prioridade que as gestões municipais devem ter em identificar grupos sociais específicos para que, com apoio do Governo do Estado, seja possível trabalhar as particulares de cada um desses grupos.



“É histórico o grau de vulnerabilidade enfrentado pela maioria desses povos e grupos, que carregam estigmas e sofrem todo o tipo de preconceito. A identificação dessas especificidades deve ser prioridade a todas as gestões que pretendem melhorar e qualificar as informações de milhares de famílias no Cadastro Único”, explica o secretário.

Para Maria José esse intercâmbio trará a possibilidade de conhecer as funcionalidades dos sistemas operacionais do país e a chance de comparar as práticas internacionais com a dinâmica de coleta de informações das famílias aplicadas em Alagoas.

“As expectativas para viagem são diversas, teremos a oportunidade de, além de estar representando nosso Estado numa missão internacional, a oportunidade de conhecer os departamentos do Governo Federal responsáveis pela operacionalização do registro único no país, o processo de coleta de informações, a rede de coleta de registro único e processo de entrevista das famílias chilenas, in loco, para acesso aos programas sociais”, explica.

A viagem será realizada no período de 15 a 19 de maio. Alagoas será o único Estado a participar da missão e estará acompanhado de três representantes de práticas municipais vencedoras e do ganhador do prêmio na categoria Entrevistador Social, além de cinco integrantes da Secretaria Nacional de Renda de cidadania (Senarc).

Ainda segundo a coordenadora, Alagoas ter recebido esse prêmio é importante, principalmente, para aumentar a visibilidade dessa experiência, que pode servir de modelo para outros Estados e aumentar o interesse para novas práticas dentro do Estado.

“Esperamos que a visita possa despertar novas ideias para o aperfeiçoamento do Cadastro único em Alagoas, mesmo tendo realidades distintas e possamos, a partir do que será apresentado, usar a criatividade e adaptar algo importante e inovador para nossa realidade”, diz Maria José.

"As informações que obtivemos através dessa iniciativa pode até incomodar os gestores municipais, forçando que esses busquem algum tipo de serviços, programas e benefícios voltados para o atendimento dessa população, pois existem diversos benefícios que podem ser direcionados para eles, como por exemplo, o Programa Bolsa Família, o Benefício de Prestação Continuada, a Tarifa Social de Energia Elétrica, entre outros. No entanto é preciso conhecer para incluir", completa a coordenadora.



Até o momento o mapeamento possibilitou a identificação de 16 GPTEs, 8.334 famílias de grupos de origem Étnicas, 4.939 famílias de grupos relacionados ao meio ambiente, 45.661 pessoas de grupos relacionados ao meio rural, 783 famílias de grupos relacionados a situações conjunturais. Totalizando 58.648 famílias, onde 45.656 dessas recebem os benefícios do Bolsa Família.

Na edição especial do prêmio de 2016, que comemora os 15 anos da criação do Cadastro Único, principal ferramenta para identificação das famílias em situação de risco e vulnerabilidade social, foram inscritas através do site do MDSA, 150 práticas de todo o país, sendo 141 de municípios e 9 de estados. Alagoas disputou a final da categoria Boas Práticas com os estados do Pará e o Paraná.

Para avaliar o projeto, em outubro de 2016, uma comitiva do MDSA veio até Alagoas conhecer as práticas e visitar famílias assistidas pelo projeto no município de Teotônio Vilela, observando os resultados alcançados naquela região. A comitiva do ministério elaborou um relatório a partir dessa visita, que resultou no primeiro lugar do prêmio.

Criado em 2009, o prêmio é uma homenagem a ex-secretária nacional de Renda de Cidadania e responsável pela gestão de grandes programas do ministério, como o Bolsa Família, Rosani Cunha, que faleceu em 2008, em um acidente de carro.

   Comentários
Nome *
E-mail *
* Campos obrigatórios  
Comentário:

 Caracteres restantes : 1000
CAPTCHA Image
Digite o código de segurança da imagem acima: Obter outra imagem
 
 
© 2001/2017 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados