Santana do Ipanema - quarta, 13 de dezembro de 2017
  Literatura
Contos
Crônicas
Destaque Literário
Escritores
Espaço do Leitor
Histórias Engraçadas
Marcas do Passado
Não Tropeçe na Língua
Outras Peças Literárias
Poemas
Poesias
Reflexões
Versos e Prosas


  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
Outras Peças Literárias
16/01/2017
O SONETO DA FAZENDA AREIAS BRANCAS
Marcello Ricardo


Idades antigas, dos tempos heroicos,
vento nas folhas, serra com cachimbo
e em cambalhotas perde-se no limbo.
Em Areias Brancas, Zezito, um estoico.

Logo vencida a batalha do Peloponeso,
Zezito escreve nas pedras sem alarde;
vem de volta Zezito à fazenda à tarde
oricurizeiros espalhados, quietos, ilesos.

Tempo de mormaço nas Areias Brancas,
nuvens de chuva vêm e a porteira tranca;
Zezito, na rede, e o pé de vento avança.

Zezito, eis a eloquência, Calíope lhe diz,
na Física Quântica o tempo é só um triz;
e o velho no alpendre antigo se balança.
 
 
© 2001/2017 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados